Destaque (154)

Segunda, 21 Agosto 2017 10:32

Visita ao dentista

Escrito por
Em sua primeira visita, o dentista obterá um histórico médico completo. Nas visitas seguintes, caso seu estado de saúde tenha se alterado, informe ao dentista. Veja a seguir o que você pode esperar na maioria das consultas ao dentista. Dependendo de seu histórico de saúde bucal, sua experiência pode ser distinta.
 
Uma limpeza completa
 
Uma consulta quase sempre inclui uma limpeza dentária completa com um dentista. Utilizando instrumentos especiais, o dentista raspa ao longo da margem da gengiva e abaixo dela, removendo a placa (biofilme dental) acumulada e o tártaro (cálculos dentais), que pode causar doença gengival, cárie, mau hálito e outros problemas. O dentista irá polir seus dentes e passar o fio dental neles durante a consulta e lhe instruirá a respeito de técnicas de cuidado bucal e produtos a serem utilizados em casa para uma melhor saúde bucal.
 
Um exame dentário completo
 
O dentista realizará um exame completo de seus dentes, gengiva e boca, procurando por sinais de doenças e de outros problemas. O objetivo é ajudar a manter uma boa saúde bucal e evitar que problemas se tornem sérios, identificando-os e tratando-os o mais rápido possível.
 
Radiografias
 
Dependendo de sua idade, riscos de saúde bucal e sintomas, o dentista pode recomendar tirar radiografias. Eles podem diagnosticar problemas que passariam despercebidos, como danos ao osso da mandíbula, dentes inclusos, abscessos, cistos ou tumores, e cárie entre os dentes. Se você estiver grávida, informe o dentista, uma vez que, nesses casos, as radiografias devem ser tiradas apenas em algumas situações.
 
Fonte: Colgate

Os motivos e razões que podem levar algum dente de leite não ser substituído são geralmente associados as seguintes condições:

  1. Existe a ausência do dente permanente devido a alguma falha na formação dentária, ou seja, o dente de leite não possui um substituto pois neste caso ele não existe.
  2. O dente permanente está impactado e não consegue por si só substituir o dente de leite. Isto é muito comum de se observar em caninos superiores que em alguns casos ficam retidos no céu da boca e para que sua erupção seja realizada corretamente é necessário que se realize uma cirurgia com a finalidade de ligar este dente a um aparelho ortodôntico que irá direcioná-lo para a posição correta.
  3. O dente permanente pode aparecer numa posição inadequada e com isso não realizar a esfoliação da raiz do dente de leite.

   Independente da razão é preciso saber que todos os dentes de leite devem ser substituídos, eles não possuem a mesma resistência dos dentes permanentes e o processo natural da vida torna a sua substituição primordial. Todos os dentes de leite apresentam grande importância durante a fase de infância e pré-adolescência, eles são os dentes que prepararão o espaço adequado para a entrada dos permanentes, não se deve negligenciá-los pelo fato de saber que eles serão substituídos no futuro. O desenvolvimento físico, psicológico e social da criança pode ser muito melhor se ela possuir todos os dentes fortes e saudáveis. Cuide de seu filho o previna de passar por dores desnecessárias logo na infância, cuide de sua educação e de sua saúde para desenvolvê-lo fisicamente e emocionalmente entendo a importância dos cuidados com todos os dentes.

Fonte:http://www.abcdbrasil.org.br

 
A mastigação envolve a trituração do alimento em pequenos pedaços, o que é realizado pelos dentes. Ela mistura o alimento com a saliva, o que lhe dá uma consistência pastosa. A saliva contém a enzima ptialina, que digere os amiláceos cozidos, convertendo-os em açúcares. Também contém um muco viscoso, que lubrifica o alimento de modo que ele possa ser engolido. Com isso, a digestão desses alimentos é facilitada, uma vez que chegam pré-digeridos ao estômago. evitando alguns transtornos tão freqüentes, como azia, má digestão, sonolência após a refeição etc.
A mastigação incorreta causa sobrecarga aos órgãos digestivos, e indigestão. Ela é um dos passos mais importantes da reeducação alimentar. Várias pessoas ficam preocupadas com a qualidade da sua alimentação, estão sempre buscando novidades sobre o assunto, mas raramente preocupam-se com a sua mastigação.
Alguns dos problemas digestivos de que muitas pessoas se queixam podem ter origem em uma mastigação insuficiente… Assim, para o ato de mastigar ser eficiente, deve ser lento e compassado, com pausas entre cada deglutição. Caso o alimento não esteja bem fragmentado, o tempo de digestão é aumentado, sobrecarregando o sistema digestivo.
Em média, nós mastigamos quatro a cinco vezes; quando o ideal é de no mínimo vinte e cinco a trinta vezes. Pessoas que alimentam-se com muita rapidez perdem um pouco o sabor dos alimentos, já que as papilas gustativas estão localizadas na cavidade bucal, e possuem também menor sensação de saciedade e acabam comendo além da quantidade necessária, pois o cérebro não transmite os sinais de que está satisfeito tão rapidamente, levando o indivíduo a ganhar peso com maior facilidade, sempre considerando, é claro, os aspectos individuais (genética, sexo, idade, atividade física,etc…).Não esqueça de mastigar bem!
Quarta, 09 Agosto 2017 00:00

TODOS OS DENTES DE LEITE CAEM?

Escrito por
 
Os dentes de leite ou dentes decíduos são dentes que fazem parte da fase inicial da vida de todas as pessoas. Inicialmente de forma geral começam a aparecer na boca por volta dos 6 meses de idade. Ao longo dos dois primeiros anos de vida a dentição decídua se completa com a exposição de todos os dentes de leite na boca. Este período em que os dentes começam a aparecer determinam um amadurecimento nos hábitos alimentares da criança que com o tempo irá consumir cada vez mais alimentos sólidos. A erupção de todos os dentes de leite finaliza-se por volta dos 24 meses de vida, porém esse período pode ser alterado e se concretizar um pouco antes ou alguns meses depois, isso vai depender do desenvolvimento de cada criança.
Fonte: abcdbrasil.org.br

 

De aliadas na hora da higiene bucal a vilãs da saúde se não forem bem cuidadas e limpas, as escovas de dente – muitas vezes negligenciadas na pia do banheiro, na gaveta do escritório ou no fundo da bolsa – merecem mais atenção do que você está acostumado a dedicar a elas. Entenda por que e saiba como higienizar corretamente a sua escova.

1) Contaminação das cerdas
Dez entre dez escovas estão contaminadas após o primeiro uso. Isso porque, após a escovação, as bactérias da flora bucal são transferidas para as cerdas das escovas que, úmidas, se tornam o local ideal para a proliferação dos germes. “É claro que uma bactéria que convive em equilíbrio na flora bucal do indivíduo não é a princípio um risco, mas quando transmitida à escova dental ocorre a formação de colônias e assim pode se tornar potencialmente patogênica”, explica a dentista Sandra Duvoisin.

2) Banheiro: aliado ou inimigo?
Além das bactérias, fungos e vírus que se alojam nas cerdas, deixar as escovas expostas no banheiro pode comprometer a saúde. Mesmo sendo destinados à higiene pessoal, os banheiros são também o local mais perigoso do ponto de vista da contaminação. As descargas dos vasos sanitários liberam diferentes tipos de bactérias e coliformes fecais. Essas gotículas contaminadas podem atingir até seis metros de altura e permanecer por horas circulando no ambiente. Imagine a sua escova ali, exposta na pia do banheiro.

3) Insetos no ambiente
Por mais limpo que seja o seu banheiro, o local está sujeito à entrada de insetos e outros bichos, como formigas, moscas, mosquitos, lagartixas, mariposas, aranhas e baratas. O problema é que eles costumam aparecer quando você menos espera, e muitas vezes não está por perto para o flagrante. Imagine tudo o que pode “transitar” por sua escova enquanto você está no trabalho, na escola, em viagem ou dormindo. Melhor nem pensar! Será?

4) Risco de doenças
Embora sejam, incontestavelmente, as protagonistas na hora da higiene oral e dos cuidados com a saúde bucal, as escovas – se contaminadas – podem transmitir uma série de doenças, algumas graves. Os problemas vão de periodontite, gengivite, cáries, diarreia, faringite, infecções de ouvido e problemas respiratórios a meningite, pneumonia e cardiopatias. “Sem a correta higienização, as escovas acabam se transformando em disseminadoras de doenças e os micro-organismos da boca e do meio ambiente podem ser transportados para o coração, pulmões e estômago”, alerta a pesquisadora Sandra Duvoisin, doutora em Ciências Biomédicas.

5) Escovas compartilhadas
A higiene oral é um hábito individual. Por isso, nem pense em dividir a sua escova de dente com alguém da família. Opte por modelos ou cores diferentes, para evitar confusão na hora do uso, e escolha sempre cerdas macias. Além disso, não se esqueça de fazer a troca da escova a cada três meses, no máximo, conforme orientação dos órgãos mundiais de saúde bucal. A substituição deve ser antecipada caso as cerdas estejam deformadas antes deste prazo ou a escova apresente acúmulos de sujeira, como aquelas manchas escurecidas na base das cerdas.

6) Recipientes coletivos
Se o hábito de escovar os dentes deve ser único e individual, o local que você escolhe para guardar a escova também. Não deixe todas as escovas no mesmo potinho sobre a pia, pois os germes alojados nas cerdas podem “migrar” para as escovas vizinhas, ampliando o risco de doenças e infecções. Gripes, viroses e outros problemas de saúde são facilmente transmitidos porque os vírus, fungos e bactérias circulam livremente entre as escovas e não raramente a doença de um membro da família acaba sendo transmitida para outra pessoa.

7) Estojos e capinhas protetoras
As capinhas e estojos não protegem a escova dental, muito pelo contrário. Ao manter as cerdas úmidas e quentes, esses porta-escovas contribuem ainda mais para a proliferação de micro-organismos. Depois de tirar o excesso de água das cerdas, deixe as escovas secando em local arejado e longe do vaso sanitário. A bolsa e necessaire também não são os melhores lugares para guardar a escova dental, a menos que você precise transportá-la. Dos males, o menor. Mesmo que os acessórios não sejam ideais, pelo menos evitarão a contaminação por germes e sujeiras do ambiente, mas, ao chegar em casa, a escova dental deve ser higienizada e armazenada adequadamente.

8) Secar as cerdas
Embora a orientação seja: lave a escova em água corrente e seque as cerdas antes de guardá-la, não há um método eficaz para cumprir esta orientação. Para secar as cerdas, o melhor jeito ainda é dar batinhas na escova para remover o excesso de água e deixá-la em um local arejado. Mas lembre-se: esfregar os dedos, usar a toalha do banheiro ou secar em guardanapos pode comprometer ainda mais a higiene da sua escova. E jamais utilize o secador de cabelos para esta finalidade.

Fonte: dbrasil.org.br

Com o convívio diário, acaba sendo inevitável que casais, amigos ou pais e filhos dividam algumas peças de roupas, objetos ou até mesmo itens de higiene pessoal. Embora muitas vezes seja uma atitude de carinho ou conveniência, essa prática pode trazer problemas para a saúde de todos os envolvidos. E não é diferente com o uso da escova de dente.

Ao emprestar sua escova para outra pessoa, acontecerá a infecção cruzada, ou seja, você estará passando suas bactérias adiante e recebendo outras de volta.

Como já diz o nome, a escova de dente é um item de higiene pessoal, portanto não deveria ser usado por outras pessoas, seja quem for. A escova tem a função de remover a placa bacteriana da boca e, portanto, mesmo com o enxágue, alguns microrganismos vão permanecer nas suas cerdas. Ao emprestar sua escova para outra pessoa, estará acontecendo o que chamamos de infecção cruzada, ou seja, você estará passando suas bactérias adiante e recebendo outras de volta.

Quanto mais pudermos evitar esse empréstimo da escova, melhor para nossa saúde bucal. Mas essa infecção cruzada também acontece de várias outras formas sem grandes danos a saúde bucal. Por exemplo, durante um beijo na boca ou ao dividirmos alimentos ou talheres com outras pessoas.

Saliva dos pais x crianças

Porém, quando essa divisão da escova de dente é feita entre pais e filhos, existe um risco maior para a criança. Os tipos de bactérias que existem na boca dos adultos são diferentes dos da criança, e esse uso compartilhado de escova pode favorecer um contato antecipado com bactérias que não são da microbiota (conjunto de microorganismo) normal da criança.

Fonte:http://saude.terra.com.br

 
 
Para os adultos idosos pode ser mais difícil o uso diário de fio dental. Se você ou algum conhecido idoso tem problemas para usar fio dental padrão, prove com um aparelho elétrico que limpa entre os dentes e estimula as gengivas, e facilita o uso feito por mãos instáveis ou fracas.
Inclusive se você não tem todos os seus dentes, o cuidado oral é importante. Para os adultos idosos que preferem o uso de um fio dental em lugar de um aparelho elétrico, o fio dental esponjoso pode ser uma boa escolha, pois está fabricado em fibra de náilon que se estira e ocupa os espaços entre os dentes. Desta maneira, pode limpar as partículas de alimento destes espaços melhor que o fio dental padrão. O fio dental esponjoso também pode ser uma boa opção para adultos que têm pontes, ou outros tipos de dispositivos dentais.
 
Fonte: Oral B
Terça, 01 Agosto 2017 08:53

CUIDADO DENTAL PARA OS IDOSOS

Escrito por

Nunca é tarde demais

Inclusive se você não foi constante no uso de fio dental durante os anos de sua infância ou adolescência (ou inclusive quando tinha vinte ou trinta anos), nunca é tarde demais para obter os benefícios do uso diário de fio dental.

Fatores de risco
O cuidado bucal em geral e o uso de fio dental em particular têm especial importância para os adultos idosos, dado que estão em situação de risco aumentado de doença das gengivas devido a diversos fatores:

Envelhecimento geral: inclusive se você tem uma boa saúde geral, à medida que envelhece começará o recesso de suas gengivas. O uso diário de fio dental contribui para promover a saúde de suas gengivas e freará este recesso.

Osteoporose: A osteoporose é comum em adultos de idade média e em idosos. As investigações demonstram que a saúde oral pode estar relacionada com osteoporose de várias formas. Os estudos demonstraram que a doença periodontal pode ser um indicador de osteoporose subjacente, e os estudos em mulheres com osteoporose demonstraram que elas apresentam maior risco de doenças nas gengivas.

Boca seca. A boca seca, ou xerostomia é um problema do cuidado dental que pode passar sem ser detectada em adultos idosos, porque eles não observam esse fato por si mesmos e não o mencionam aos seus médicos ou dentistas. A boca seca pode incrementar o risco de doença das gengivas porque não existe suficiente saliva para eliminar por lavagem as bactérias e partículas de alimento que podem provocar a doença das gengivas, se permitida sua acumulação. Certos tipos de medicamentos, inclusive os antidepressivos e alguns anticonvulsivantes, podem contribuir para causar boca seca. Leia os possíveis efeitos secundários de todos os medicamentos que você toma, e se a boca seca estiver na lista, seja cuidadoso com a escovação dos dentes e com o uso de fio dental.

Síndrome de Sjögren. Este transtorno autoimune pode acontecer em qualquer idade, mas é mais freqüente em mulheres menores de 40 anos. Os dois sintomas mais comuns são olhos e boca extremamente secos. Se você tiver síndrome de Sjögren, a falta de saliva incrementa o risco de cárie, e é importante escovar os dentes depois de cada comida, e usar fio dental pelo menos uma vez ao dia. O profissional dentista também pode sugerir um enxágue antimicrobiano para ajudar a manter as bactérias afastadas.

Não viva no passado

Alguns adultos podem estar preocupados com o perigo de perder os dentes porque não prestaram atenção à higiene oral no passado. Embora os antecedentes de higiene oral inadequada incrementem o risco de perda de dentes, o cuidado preventivo da saúde oral pode reduzir esse risco. Os resultados de um estudo de 736 homens adultos demonstraram que os que tinham hábitos de cuidado oral saudáveis, inclusive uma combinação de escovação de dentes, uso de fio dental e consultas regulares ao dentista, tinham maior probabilidade de manter seus dentes à medida que envelheciam, em relação aos que não seguiam tais hábitos. Os homens com antecedentes mais prolongados de saúde oral adequada tinham maior probabilidade de manter os dentes, mas inclusive os que seguiam uma rotina constante de saúde oral durante um período mais curto tinham menos probabilidade de perder dentes, em relação aos que não seguiam uma rotina constante de cuidado bucal.

Fonte: Oral B

Cooperados da Uniodonto Amapá chegam ao último módulo do Programa de Desenvolvimento de Líderes promovido pelo Sistema OCB Amapá. As abordagens sobre Administração do Tempo e Atendimento Eficaz encerram um ciclo de cinco módulos voltados ao conhecimento profissional.

O programa é voltado à cultura da organização possibilitando o desenho de projetos assertivos. O formato foca em líderes onde são aplicadas diversas abordagens inovadoras de aprendizagem visando potencializar os resultados esperados.

Para o Dr. Marcelo Albuquerque, o Programa de Desenvolvimento de Líderes foi uma excelente oportunidade para abrir novos horizontes e proporcionar novas metas profissionais. “É muito poder sair do consultório e ganhar um novo gás para prosseguirmos em nossa missão. Saímos daqui renovados e determinados. Eu, particularmente, gostei muito da parte contábil e motivacional. Dicas que já estou podendo colocar em prática”, disse o Dentista.

A presidente da Uniodonto, Dra. Ana Valéria Silva, destaca que iniciativas como essa só fortalecem o cooperativismo. “Ganha a Uniodonto, o cooperativismo, os profissionais e principalmente o beneficiário, que tem um profissional cada vez mais preparado e focado em oferecer um atendimento de excelência. Agradecemos o Sistema OCB pela parceria e dedicação”, ressaltou a presidente.

Para o Sistema OCB Amapá fica a experiência de mais um etapa cumprida e a missão de buscar novas ferramentas para ofertar aos cooperados. “Foi extremamente gratificante poder receber os cooperados da Uniodonto nesses cinco módulos. Temos a certeza de que todo conhecimento repassado contribuirá muito para o crescimento de cada profissional. As portas do Sistema continuam abertas para mantermos essa constante troca de conhecimento. E não temos dúvida que em breve teremos outras novidades”, compartilhou a gerente de Desenvolvimento de Cooperativas do Sescoop/AP, Naiane Videira.

O cinco módulos do programa foram pautados no conhecimento de ferramentas de liderança, as habilidades relacionais e as atitudes diárias de um líder que tem um grande impacto na produtividade e no engajamento do seus resultados.

Localização

Rua. Dr Marcelo Cândia, 925 - Santa Rita - Macapá/AP | Telefone: (96) 3222-3237, 3222-3247 e 3222-0125.

Funcionamento de segunda-feira a quinta-feira 08:00-18:00, sexta-feira de 08:00 as 17:00.

 

História

A cooperativa odontológica Uniodonto Amapá foi fundada no dia 23 de setembro de 1997, durante assembleia realizada no auditório do CRO (Conselho Regional de Odontologia), em Macapá. No encontro, os presentes discutiram a aprovação do Estatuto, eleição da diretoria e pedidos de filiação à Federação das Uniodontos das Regiões Norte-Nordeste do Brasil.

Visão

Ser a melhor Rede Odontológica do Estado do Amapá, a partir, da aliança entre conhecimento, tecnologia e humanização.

Valores

Ética, Transparência, Qualificação Profissional e Valorização do Cirurgião Dentista e Colaboradores.

Missão

Promover a saúde bucal de qualidade com base no cooperativismo.

 NFL Jerseys China